segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Tirinha do Dia!

Efeito AXE

O desodorante AXE está sempre inovando em seus anúncios, e agora para mostrar o “Efeito AXE” optou por anúncios minimalistas, mais muito criativos e representativos. 
Os três anúncios foram criados pela agência Lowe de Dubai.




sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Identifique-se – Crie identidade para sua marca

O Brasil é um dos poucos países do mundo onde a mídia de massa, como a tv, em especial, ainda predomina, mas é cada vez mais visível a mudança nos hábitos dos consumidores, principalmente os novos, pertencentes à geração Y.

Essa geração é altamente consumista e ainda detêm o poder de influenciar a compra em suas casas, todavia não é para eles que a propaganda em geral é direcionada.

Quem quer vender para essa geração não pode mais usar mídia tradicional, que “empurrava”, e sim se reinventar e fazer a marca “puxar” o consumidor, o que não é uma tarefa fácil, mas com empenho e criatividade, a coisa toda funciona.

As marcas precisam ter um conteúdo relevante para atrair seu público, pois o novo consumidor precisa se ver na marca, se identificar. Uma empresa que conseguiu atrair consumidores sem “empurrar” uma propaganda foi a Red Bull, que participa e cria eventos de aventura, uns até um tanto inusitados (assista ao vídeo abaixo), para “puxar” seus consumidores.

Promover algo que atraia o consumidor é o desafio dado às marcas, e isso pode ser feito de diversas formas atualmente, como com uma aplicativo mobile, um game, um blog, um Facebook, um canal no YouTube, entre outros diversos.

Quando uma marca desenvolve um conteúdo de qualidade, relevante, útil, pertinente, diferente, interativo e alinhado aos objetivos estratégicos da empresa se diferencia das demais.

Cria identificação, proximidade, relacionamento e envolvimento com o consumidor. Forma uma grande barreira de saída e pode ajudar em uma crise. Promover conteúdo neste mundo conectado em rede é um ótimo caminho para engajar as pessoas. Para ajudar a comprar ao invés de vender.

Charge do Dia!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Continue Criando! Johnnie Walker

É difícil achar uma campanha da Johnnie Walker que não agrade, e essa abaixo agradou muito, pelas peças minimalistas e de bom gosto.

Criada em outubro pela Leo Burnett de Taiwan, a campanha impressa da marca é sucesso no mundo todo.





quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Logotipos Criativos e Inspiradores!










Charge do Dia!

Ação de Marketing – Spanair

Não deve ser nada legal passar o Natal dentro de um avião. Mas o que nos consola é saber que quando chegarmos, alguém muito especial estará no aeroporto nos esperando.


Além das pessoas especiais, esse vídeo mostra passageiros encontrando uma surpresa ao esperarem por suas malas.


Em uma criativa e acolhedora ação, a Spanair, companhia aérea da Espanha, deu presentes de Natal para todos os passageiros que desembarcaram no dia 24 de dezembro a meia noite.


Veja a reação das pessoas no vídeo:


Entrada Triunfal

Não é de hoje que a Heineken está sempre inovando e quebrando paradigmas da propaganda, e em seu novo vídeo “The Entrance” a empresa se supera mais uma vez.


Criado inicialmente para ser vinculado no Facebook, “The Entrance” apresenta um personagem cheio de glamour e versatilidade, que “chega chegando” e interage com praticamente todos os personagens da festa.


Mais um comercial que merece nossa atenção!


Embelezando o Lixo

Grandes sacos pretos de lixo já não fazem mais parte do visual da cidade de Auckland, na Nova Zelândia, isso porque a prefeitura resolveu inovar e criou sacos de lixos que cheios parecem plantas.

Então, enquanto o lixeiro não passa a cidade está protegida da poluição visual, e fica aparentemente mais bonita.

Bem que essa moda podia pegar no Brasil, só não vale aumentar a quantidade de lixo só para ter um “jardim” maior.


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Charge do Dia!


O Encaixe Perfeito

Você já achou o seu Par Perfeito? Ainda não? Mas não se preocupe, há alguém no mundo que se encaixa perfeitamente com você.

Essa é a proposta do site Par Perfeito, que acaba de investir US$ 5 milhões em uma campanha que atingirá diversos países da América Latina.

O objetivo do comercial é difundir os serviços exclusivos e diferenciados e atrair novos usuários.

Vejam como é criativa a proposta do site no comercial:

video

Anúncios Pra Lá de Criativos

Curta a seleção que a Benetton fez para você:










segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

COMO AS MARCAS GLOBAIS ESTÃO CONQUISTANDO A ÍNDIA E A CHINA


Com a abertura da economia, Índia e China se tornaram mercados cada vez mais permeáveis e estão na mira de grandes multinacionais. Mas entrar em um mercado onde muitos serviços e produtos ainda não existem ou não são comuns, não é uma tarefa fácil. Como uma empresa como a Starbucks pode vender café para uma nação cuja preferencia nacional é o chá? Como introduzir um produto do Homem-Aranha, quando ser um nerd, como Peter Parker, é considerado um comportamento desprezível?

Esses foram alguns desafios discutidos no congresso realizado em Nova York cujo tema foi “O papel das marcas na China e na Índia: realidade e futuro.” Patrocinado conjuntamente pelos Centros de Educação e Pesquisa Corporativa Internacional da Universidade de Colúmbia, pela Universidade da Pensilvânia e pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, o evento contou com a presença de debatedores de companhias internacionais de renome que compartilharam estratégias para exportar com sucesso a marca de suas empresas.

A mais famosa varejista de café do mundo, a Starbucks, quando resolveu se estabelecer na China, encontrou pela frente um grande desafio, pois o chá, e não o café, era a bebida predileta dos chineses. Então, não restou alternativa a Starbucks, e ela teve que incorporar bebidas, alimentos e outros produtos baseadas no chá verde, em seu cardápio.

Outra adaptação que a Starbucks fez na China, foi se estabelecer em lugares atraentes nos quais as pessoas posam passar o tempo entre a casa e o trabalho, tornando-se assim um ponto de vínculo social. E do ponto de vista da arquitetura, houve um esforço para que as lojas se integrem à paisagem local.

Todavia, fazer com que os chineses sintam vontade de tomar um cappuccino não tem sido uma tarefa fácil, assim, a Starbucks está aos poucos tentando educar os chineses. A Starbucks quer mostrar que o café é uma bebida boa para se beber a qualquer momento do dia.

Mas o que já se percebe, é que eles adoram a marca, pois vão à loja tomar café e depois levam o copo, com o logo da empresa estampado, para no decorrer do dia, o preencherem com cafés de outras marcas. E para aumentar a visibilidade da marca, a Starbucks lançou uma série de programas de marketing no país, entre eles há a possibilidade de criar cartões online para enviá-los a amigos, e uma novela que é exibida nas telas do metrô de Xangai.

Para entrar na China é preciso entrar em sintonia como o modo chinês de ser, e prestar atenção ao que funciona naquele mercado. A construção de uma marca na China leva tempo, e a influência de mercado não é algo que se consiga da noite para o dia.

Para alcançar os consumidores, a televisão ainda é o meio preferido, mas o celular, a imprensa, o rádio e a internet também estão sendo muito utilizados, pinturas na parede — o equivalente dos outdoors — também são importantes, bem como os road shows (demonstração de produtos) em áreas rurais.

Na Índia, o assunto do momento é o crescimento explosivo da população jovem, assim a empresa que trabalha com quadrinhos bem conhecidos no Ocidente e com super-heróis criados originalmente na Índia, além de outros personagens, teve que integrá-los à cultura local de modo bastante direto. O Homem-Aranha, por exemplo, foi reinventado e ganhou o nome de “Pavitr Prabhakar”, e em vez de um nerd devorador de livros como Peter Parker — o que não seria considerado um comportamento desprezível na cultura indiana — a personagem passa seu passado em uma aldeia.

Se quiserem obter sucesso na Índia e China, as multinacionais devem continuar respeitando e se adaptando à cultura local, e de maneira alguma fazer com que esses povos tão singulares, sejam vencidos e padronizados segundo o que lhe são impostos.


quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

MIDIAS SOCIAS – NÃO HÁ COMO FUGIR


Hoje em dia a empresa que ainda não abriu conta nas mídias sociais como Orkut, Twitter e Facebook está desatualizada e perdendo uma grande chance de propagar sua marca de forma instantânea e gratuita. As empresas que optarem ficar de fora, dificilmente conseguirão sustentar essa ideia por muito tempo.

Em pesquisa divulgada em maio de 2010, a Deloitte, apontou que 70% de 302 empresas de diversos seguimentos e portes situadas no País afirmam utilizar e/ou monitorar essas mídias. Das instituições que estão de fora, 86% pretendem, nos próximos três anos, providenciar a participação nesses novos ambientes.

Organizações de qualquer lugar e porte estão se lançando nas redes sociais, mas muitas vezes sem entender o significado desta ação. Antes de aventurar nas mídias sociais, o ideal seria refletir sobre as possibilidades de interação e relação que as redes sociais oferecem. Afinal, as mídias sociais oferecem uma comunicação diferenciada de interlocução, fundamentada nos princípios democráticos, e uma comunicação mais direta e na oportunidade de uma relação mais próxima.

Antigamente os consumidores eram passivos às investidas das empresas, mas hoje ele é agente ativo, e tem a sua disposição, gratuitamente, os mesmos recursos interativos, que criam e disseminam suas mensagens, produzindo os mais diversos sentidos. A comunicação deixa de ser linear para se tornar algo bem complexo, onde o diálogo é algo cada vez mais valorizado e essencial.

Porém toda essa facilidade de comunicação tem um revés, como é cada vez mais difícil monitorar as manifestações, um cliente insatisfeito pode, por exemplo, externar esse sentimento, por meio de comunidade do Orkut, ou perfil no Twitter para potencializar informações negativas sobre determinada instituição, prejudicando a imagem da empresa perante outros consumidores.

O mais proveitoso disso tudo é que as redes sociais oferecem uma rica oportunidade de aproximação entre a organização e seus consumidores, aproximação que deve ser fundamentada na tolerância ao diverso e à crítica, ouvindo sempre o que o outro tem a dizer, com o objetivo de melhorar constantemente os processos, produtos, serviços, entre outros.

Cabe às organizações se prepararem, e obterem o conhecimento necessário para se apropriar da dinâmica virtual, e para assim, aproveitarem o que as redes sociais têm de melhor para oferecer.

Veja a questão sobre outra visão:

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A GUERRA DOS NAVEGADORES


Segundo o Wikipedia um navegador, também conhecido como browser, é um programa de computador que habilita seus usuários a interagirem com páginas da web, mas para grandes empresas como a Microsoft, Google, Mozilla Foundation, entre outras, o navegador é motivo de disputa, criando assim a “Guerra dos Navegadores”.

Na década de 90 a internet começou aos poucos a fazer parte da vida das pessoas, e naquela época o Netscape Navigator e o Microsoft Internet Explorer disputavam o domínio deste mercado, entretanto já no final da mesma década, a Microsoft já esmagava o Netscape que aos poucos desaparecia.

Todavia o cenário atual é bem diferente e o número de concorrente é maior, e todos estão se armando para conquistar consumidores, que estão cada vez mais exigentes, e com cada vez mais aparelho que se conectam a Internet.

Os navegadores mais poderosos permitem que o usuário use, mude e aperfeiçoe o software, e ainda que ele integre serviços de mídia social, como o Facebook e o Twitter. A palavra de ordem do consumidor atual é customizar, pois os usuários querem que o programa se adeque a ele e não que ele tenha que se adequar ao programa.

Atualmente os navegadores estão passando por um surto de inovação, é que mostra o novo navegador chamado de RockMelt, da empresa com o mesmo nome, que além de ter recursos de busca mais velozes, busca incorporar uma função de compartilhamento, pois a partir do momento que o usuário dá ao RockMelt acesso à sua conta do Facebook, o navegador permite a ele ver quais dos seus amigos estão online e viabiliza a atualização do Facebook e do Twitter por meio de um clique sem que para isso o usuário tenha de sair da página de Internet em que está.

O mercado atual dos navegadores está divido entre algumas grandes empresas, e a NetApplications, empresa de aplicativos e de ferramentas analíticas, estima que várias versões do Internet Explorer controlem 59,2% do mercado de browsers; em seguida vem o Firefox, com 22,8%; o Google Chrome detém 8,5% do mercado e o Safari, da Apple, 5,36%. O Opera tem 3,2% do mercado, incluindo-se aí também seus browsers para desktops e aparelhos móveis.

Reconhecidamente uma peça fundamental para todos os computadores, o navegador ainda será fonte de disputas por grandes empresas, e quem tem a ganhar com isso são todos os consumidores, que estão sempre afoitos por novidades e inovações.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...